sábado, setembro 17, 2011

Hoje

acordei atormentada pela minha própria mortalidade e com uma enorme urgência em fazer tudo o que de importante ainda não fiz.

Nomeadamente, levar a Inês a passear.

Sem comentários: